Castelo Zé dos Montes
Castelo Zé dos Montes. Foto: Carla Belke

Localizado na Serra do Tapuia, município de Sítio Novo, distante 112 quilômetros de Natal, o Castelo Zé dos Montes é considerado um dos mais belos cartões postais do Rio Grande do Norte. Sua imponência e beleza exuberante formam um interessante contraste com a paisagem das serras que circundam o castelo feito de pedra e cal.

A obra monumental foi construída por um aposentado que deu seu próprio nome ao castelo que levou mais de 20 anos para ser construído. Segundo o criador, a obra teria sido feita sob as instruções de Nossa Senhora.


Castelo di Bivar

Foto: Liza Gabrielle
Foto: Liza Gabrielle


Localizado na Serra do Tapuia, município de Sítio Novo, distante 112 quilômetros de Natal, o Castelo Zé dos Montes é considerado um dos mais belos cartões postais do Rio Grande do Norte. Sua imponência e beleza exuberante formam um interessante contraste com a paisagem das serras que circundam o castelo feito de pedra e cal.

A obra monumental foi construída por um aposentado que deu seu próprio nome ao castelo que levou mais de 20 anos para ser construído. Segundo o criador, a obra teria sido feita sob as instruções de Nossa Senhora.

Castelo das Quintas

Castelo das Quintas. Foto: Canindé Soares
 

Natal também tem Castelo e ele fica localizado no bairro das Quintas, na Zona Oeste da capital. Lembra de Zé dos Montes, lá de Sítio Novo? Pois o Castelo das Quintas também é obra dele e é lá que ele mora. O castelo em plena cidade chama atenção de quem passa, ainda mais por seu estilo islâmico.

A história conta que foi lá que em 1940 ele recebeu instruções de Nossa Senhora, através de uma visão. Ela teria pedido que ele construísse um complexo de 13 castelos com as próprias mãos e sem ajuda de máquinas. Não acredita? Vai lá em confere!.

Castelo Taverna Pub

Taverna pub em Pona Negra. Foto: Divulgação

 

Mas não foi só seu Zé dos Montes que fez Castelo em Natal. Criado há mais de 20 anos, o Taverna Pub vem embalando noites na capital com boa música e gente interessante. Trata-se de um Pub Medieval localizado no coração de Ponta Negra. Genial!!!

Uma dica pra quem está solteiro é dar uma passadinha lá no Taverna Pub na segunda-feira. O Pub conta com uma programação chamada Segundas Intenções – Noite dos Solteiros. Não há lugar mais sugestivo para quem está à procura de uma princesa ou um príncipe encantado.

Castelo Engady
castelo Engady. Foto: Dimas Mota
 

A cidade que tem o queijo mais tradicional do Rio Grande do Norte também tem um castelo pra chamar de seu. Em Caicó, distante 270 km de Natal localiza-se o Castelo Engady, Construído pelo Monsenhor Antenor Salvino de Araújo para ser um local de recolhimento, estudos, meditação e oração.

O nome Engady significa lugar isento de maldade e provém da história bíblica do rei Davi. Conforme o relato bíblico, quando Davi era perseguido pelo rei Saul, era na fonte de Engady, na Palestina, que ele encontrava sossego e proteção.

Castelo de Felipe Guerra​​​​​​​
Castelo Felipe Guerra. Google Imagens

Na Região do Oeste Potiguar, é no município de Felipe Guerra, distante 355 km de Natal, que fica localizado o castelo que tem o mesmo nome da cidade. Do alto do Castelo de Felipe Guerra, ladeado pela floresta de Carnaubais, se pode ver toda a cidade baixa, num lindo contraste de marrom e verde. A construção também é conhecida como Castelo de Dona Ritinha, apelido da proprietária, uma professora aposentada da UFRN.

Castelo Ceulen​​​​​​​
Castelo Caulen. Caio Flávio

Talvez o mais conhecido, mas menos lembrado como castelo é o Forte dos Reis Magos, localizado na Praia do Forte, em Natal. Se ninguém nunca lhe contou, saiba que o forte já foi chamado de Castelo Ceulen (ou de Keulen) durante o período da invasão holandesa à Capitania do Rio Grande.

Tombado pelo Patrimônio Histórico desde 1949, o Forte dos Reis Magos foi criado como uma edificação militar e hoje consta como um dos mais famosos cartões postais da capital potiguar. Suas dependências já serviram como prisão política para os implicados na Revolução Pernambucana de 1817. Entre eles destacou-se o seu líder no Rio Grande do Norte, André de Albuquerque, que faleceu em uma das celas, vítima de ferimento, naquele mesmo ano.

Por Mateus Ângelo e Diego Campelo
Fonte: